terça-feira, 28 de junho de 2016

VOCE ESTA CONTENTE COM SEU TRABALHO

     Certa vez, quando o dia havia acabado de amanhecer, um agricultor já estava capinando a sua lavoura. Para ele, aquele dia seria apenas mais um dia como tantos outros, ou seja, apenas mais um dia de trabalho de sol a sol.
    Ele capinava e ao mesmo tempo pensava na vida. Pensava como era difícil o seu dia a dia, como era difícil sustentar sua família com o que ganhava na lavoura, quanto trabalho era preciso.
     E muitas vezes esse agricultor até questionou a Deus em seus pensamentos, dizendo que Deus lhe havia colocado num lugar onde o trabalho era tão difícil e pesado. Enquanto outras pessoas trabalhavam em tarefas bem mais leves e até mais agradáveis.
     O sol já estava alto quando o agricultor, cansado, tira o chapéu, limpa o suor que cai do seu rosto, começa a olhar ao seu redor, olha pra cima e vê um avião que cruzava os ares, e neste instante o agricultor diz: Que vida boa deve ser a desse piloto, a desse motorista de avião. Pilotando esse avião ele deve conhecer o mundo inteiro de graça, trabalha sentado, limpo e não precisa ficar preocupado com o tempo (se vai chover ou não) e o salário dele deve ser bem maior do que eu ganho na lavoura. Para o agricultor, a vida de piloto de avião, isso sim era vida boa.
     Porém, dentro do avião estava um homem que pensava nos seus próprios problemas. “Como é dura a vida que eu levo dizia o piloto”. Fico semanas longe da minha esposa, quase nunca posso brincar com os meus filhos. Eu passo mais tempo no ar, do que na terra. E, para piorar estou sempre preocupado com as centenas de pessoas que viajam sobre a minha responsabilidade.  Neste instante um ponto escuro no solo lhe chama a atenção. Ele observa com atenção e percebe que era um homem trabalhando na lavoura.
     E, neste momento o piloto diz para si mesmo: Como eu gostaria de estar no lugar daquele homem, trabalhando tranquilamente em meio a sua lavoura, ouvindo o canto dos pássaros, sem maiores preocupações. No final do dia ele pode voltar para casa, pode abraçar os seus filhos, sua esposa. Pode jantar e repousar tranquilamente ao lado das pessoas que tanto ama. Para o piloto do avião, a vida do agricultor, isso sim era vida boa.
OBS: Deus com certeza sabe qual é o melhor lugar para cada um de seus filhos. Cabe a nós apenas exercermos a nossa atividade com amor e saber que ali estamos para aprender as lições que Deus quer nos ensinar.
     Az vezes só nos lembramos de reclamar e pedir. E assim, acabamos nos esquecendo de agradecer por tudo aquilo que Deus já tem colocado na nossa vida.
     Viver sem dúvida é um desafio, mas temos que buscar em Deus a força e a capacidade para florescer no lugar em que fomos plantados.
     Em Cl 3.14: “Acima de tudo esta o amor, que é o vinculo da perfeição”.


Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quinta-feira, 19 de maio de 2016

EU, A FOME e o TRABALHO


        Um dia desses abri uma das portas da prateleira na cozinha e "dei de cara" com um pão mofado. Era daqueles pães de sanduíche e eu tinha comido apenas  quatro ou cinco fatias. Logo pensei: "Mais de 80% do pão jogado fora".
        Logo me veio uma sensação ruim. A consciência me acusava ao lembrar que havia tanta gente passando fome. Pensei: "Podia dar isso a alguém", mas o tempo se encarregou do estrago.
        Talvez já tenha acontecido algo parecido com você... Sei que a fome é mais um problema político. Sei que os estudos de geografia econômica revelam que bastaria uma organização melhor e o mundo teria condições de alimentar uma população cinco vezes maior. Sei que o dinheiro gasto com pesquisas espaciais poderia resolver grande parte da miséria no mundo. Sei que muitos tratam um animal com melhores condições do que uma família inteira. Mas e eu? Quantas vezes descasco uma fruta exagerando no corte e coloco fora muitas vitaminas? Quantas vezes me esqueço de agradecer a Deus pelo pão de cada dia?
        Quando eu era pequeno e orava o Pai Nosso, sempre que a petição: "O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DÁS HOJE..." era proferida, me vinha à mente todos os tipos e formas de pães: milho, trigo, centeio, sanduíche, etc. Já no tempo de instrução o pastor me explicou que pão de cada dia significava tudo o que precisávamos para o nosso sustento diário: comida, água, bom tempo (Sol, chuva, frio e calor), família, amigos, calçados, moradia, educação, TRABALHO, etc.
        Já vi gente chorando de barriga cheia, reclamando de tudo. E eu, volta e meia, me incluo nesta lista. Já vi e ouvi pessoas dizendo: "QUERIA DAR UMA SURRA EM QUEM INVENTOU O TRABALHO". Pois bem, tente marcar uma briga com Deus, pois foi ele quem inventou o trabalho. Nós deveríamos querer dar uma surra em quem inventou a fome, MAS NÃO SERIA FÁCIL BRIGARMOS CONOSCO MESMO.
        Ao invés de brigar, quem sabe a melhor atitude nossa seja desabafar e confessar: "Perdão, ó Deus, quando vi Tua mão me alimentando diariamente e não agradeci! Perdão, ó SENHOR, quando tive condições de ajudar e não fiz nada! Perdão, ó Deus, pela indiferença e pelo coração fechado! Perdão, ó Deus, quando deixei de agradecer pelo meu TRABALHO, pois graças a ele tenho o PÃO DE CADA DIA".
(Adaptado -  A. Kirchein)
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

segunda-feira, 2 de maio de 2016

O VALOR DE MÃE


Lemos em Isaias 49.15: “O Senhor responde: Será que uma mãe pode esquecer o seu bebe? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês”. Amém
         Estamos próximos do dia das mães! E como filhos, será que já escolhemos o presente que vamos dar a ela?
Nas duas perguntas de nosso texto e, mais a outra que foi formulada, podemos constatar as diferenças que existem em nosso meio.
         Quanto vale a nossa mãe? As forças do amor materno vão além de nossa imaginação e compreensão. Vão além dos presentes que escolhemos e damos para a nossa mãe. Por vezes, ouvimos relatos de mães que esquecem seus filhos pequenos trancados dentro de carros, ao se deslocarem para o trabalho, ou a supermercados. Porque tamanho esquecimento absurdo envolve um “ser” que chega a esquecer do próprio filho. Outras vezes constatamos mães que, se dispõem em abandonar filhos recém-nascidos em sacolas que são colocados no lixo, assim, filhos abandonados (jogados fora) pela própria mãe. São coisas que nós criaturas humanas não conseguimos compreender. Este extremo talvez seja um desequilíbrio momentâneo, um impulso repentino que a faz agir desta maneira.
         O valor ideal de mãe é aquele em que ela corresponde ao amor pelos filhos e, em que ela de igual forma é correspondida em amor, pelos seus filhos. Do contrário, não adianta querer demonstrar amor através de um presente caro, ou gastar em coisas absurdas. Lembre-se, “são nas pequenas atitudes que estão as grandes coisas”!
         Como filhos, se moramos com ela lá dentro de casa, a honra o respeito constante num nível elevado de conceito de estima. E, se ela não mora conosco, visitá-la regularmente, estes são presentes que farão a diferença no nosso caráter, e também, valorizarão a luta e o empenho que teve quando nos criou. O nosso presente material, só terá sentido se valorizarmos completamente o que é mais importante, como: carinho, afeto, ternura, honra, obediência, e o querer-lhe bem. Tudo isto, custa tão pouco por nossa parte.
         À nossa mãe, enquanto viva estiver, não haverá dinheiro no mundo que possa pagar àquilo que ela fez por nós, portanto, valorize a sua mãe! Do contrário não adianta nada no dia em que ela partir para os braços de Deus, sentarmos ao lado do caixão e chorar a sua ausência. Pense nisso.
         Às queridas mães, o nosso fraterno abraço e que tenham um dia muito abençoado. Com amor e carinho para todas as mães.
Pastor Darí S. Schmechel

terça-feira, 12 de abril de 2016

NOSSOS PLANOS


"Ouvi o meu ensino e sede sábios". Provérbios 8.33
    É certo afirmar que todas as pessoas fazem planos. Alguns planos são chamados de curto prazo, ou seja, aqueles mais imediatos. "Eu vou almoçar hoje", é um desses planos. Outros são a médio prazo, "no próximo mês, vou trocar a geladeira". Alguns planos são a longo prazo, "no ano que vem, eu vou aproveitar melhor as minhas férias".
    É certo ainda mencionar que alguns planos são bem simples, outros complexos. Alguns planos eu posso realizar sozinho, outros eu preciso de ajuda. Vale ainda dizer que alguns planos são bem sucedidos e outros são fracassos. Na verdade, não existe nenhuma garantia de sucesso para qualquer plano que façamos.
    Veja agora o que diz a Bíblia: "O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem do Senhor" Provérbios 16.1. O que podemos aprender através desse versículo?
- Não é errado fazer planos! Um plano bem elaborado é fazer bom uso da inteligência que Deus concedeu a cada um de nós. Deus está interessado em conhecer os nossos planos. A Bíblia nos ensina que Deus quer dirigir e guiar os nossos passos. Por isso, devemos compartilhar os nossos planos com Ele.
    Deus quer aprovar os nossos planos antes da execução dos mesmos. Ele é a força que nos sustenta, é o provedor das nossas necessidades.
    Muitas vezes, fazemos as coisas que julgamos mais corretas e depois ficamos questionando o porquê das coisas não terem saído como deveriam. Muitas vezes, achamos que os nossos planos são perfeitos e que não precisamos da opinião de outra pessoa.
    Por isso, devemos orar antes da execução de qualquer plano, e não apenas depois da ação! O cristão deveria orar e pedir a aprovação de Deus. E, com essa aprovação, ir em frente nos seus projetos, seus planos.

Oremos: Senhor, queremos submeter a Ti os nossos planos. Ajude-nos para que possamos sempre estar em sintonia Contigo. Em nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Amém
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

sábado, 19 de março de 2016

HOUVE AQUELA PRIMEIRA CRUZ


Houve aquela primeira cruz, a cruz do Gólgota.
Que grande engano: Crucificaram o Filho de Deus!
A partir daquele acontecimento, a cruz se tornou o símbolo maior da cristandade. Onde cristãos se reúnem, ali ela está presente.
A cruz fala de sofrimento, pois chicotearam Jesus, colocaram-lhe uma coroa de espinhos e furaram suas mãos com pregos. A cruz fala de humilhação, pois zombaram de Jesus, leiloaram suas vestes e cuspiram no seu rosto. A cruz fala de morte, pois Jesus morreu na cruz.
Fosse só isso: sofrimento, humilhação e morte, a cruz não seria o símbolo maior da cristandade. Ela é o símbolo maior porque também fala de alegria, fala de vitória e fala de vida. E, por isso é que ela está presente em toda a parte onde cristãos se reúnem.
Encontramos a cruz no alto da torre de nossas igrejas, porque ali se reúnem pessoas para celebrar a vitória da alegria sobre o sofrimento. Encontramos a cruz na capa de livros que contam e cantam a mensagem da exaltação ao invés da humilhação. Encontramos a cruz em nossos cemitérios, para anunciar a vitória da vida sobre a morte.
Efetivamente a cruz é o símbolo maior da cristandade.
A cruz lembra dor, mas ela anuncia alegria. A cruz lembra engano, mas anuncia a verdade. A cruz lembra morte, mas anuncia a vida! (Devocionário Sol Nascente)

 "A CRUZ DO CALVÁRIO MOSTRA COMO OS HOMENS PODEM IR LONGE NO PECADO, E COMO DEUS PODE IR LONGE PARA SALVÁ-LOS". (Trumbull)

 Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quinta-feira, 3 de março de 2016

A TRANSFUSÃO DE SANGUE

Conta-se que, numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeio dos helicópteros do exército americano.
Os missionários e duas crianças tiveram morte imediata, e as restantes ficaram gravemente feridos.
Entre elas, uma menina de oito anos. Esta considerada em pior estado.
Era necessário chamar ajuda por um rádio, e ao fim de algum tempo, um médico e uma enfermeira da Marinha dos EUA chegaram ao local. Teriam que agir rapidamente, senão a menina morreria, devido aos traumatismos e à perda de sangue.
Era urgente fazer uma transfusão, mas como?
Reuniram as crianças, e entre gesticulações, arranhadas no idioma, tentavam explicar o que estava acontecendo, e que precisariam de um voluntário para doar sangue.
Depois de um silêncio sepulcral, viu-se um braço magrinho levantar-se timidamente.
Era um menino chamado Heng.
Ele foi preparado às pressas, ao lado da menina agonizante, e espetaram-lhe uma agulha na veia.
Ele se mantinha quietinho e com o olhar fixo no teto.
Passado algum momento, ele deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre.
O médico lhe perguntou se estava doendo, ele disse, não.
Mas não demorou muito a soluçar de novo, contendo as lágrimas.
O médico ficou preocupado, fez a mesma pergunta, e novamente, ele disse, não.
Os soluços ocasionais deram lugar a um choro silencioso, mas ininterrupto.
Era evidente que alguma coisa estava errada.
Foi então que apareceu uma enfermeira vietnamita vinda de outra aldeia.
O médico pediu que ela procurasse saber o que estava acontecendo com Heng.
Com a voz meiga e doce a enfermeira foi conversando com ele e explicando algumas coisas. E o rostinho do menino foi se aliviando. Minutos depois ele estava novamente tranqüilo.
A enfermeira explicou aos americanos:
- Ele pensou que ia morrer, não tinha entendido o que vocês disseram e estava achando que ia dar todo o seu sangue para a menina não morrer.
O médico aproximou-se dele e, com a ajuda da enfermeira, perguntou:
- Mas, se era assim, porque, então, que você se ofereceu a doar seu sangue?
O menino respondeu, simplesmente:
- ELA É MINHA AMIGA...     (Autor Desconhecido)

Portanto, “Se uma boa amizade você tem, louve a Deus, pois a amizade é um bem.
Toda boa amizade você deve conservar, como é bom quando se sabe amar.
A amizade vem de Deus e a Deus deve levar, como é bom quando se sabe amar”!
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz