sábado, 20 de abril de 2019

HOUVE AQUELA PRIMEIRA CRUZ


Houve aquela primeira cruz, a cruz do Gólgota.
Que grande engano: Crucificaram o Filho de Deus!
A partir daquele acontecimento, a cruz se tornou o símbolo maior da cristandade. Onde cristãos se reúnem, ali ela está presente.
A cruz fala de sofrimento, pois chicotearam Jesus, colocaram-lhe uma coroa de espinhos e furaram suas mãos com pregos. A cruz fala de humilhação, pois zombaram de Jesus, leiloaram suas vestes e cuspiram no seu rosto. A cruz fala de morte, pois Jesus morreu na cruz.
Fosse só isso: sofrimento, humilhação e morte, a cruz não seria o símbolo maior da cristandade. Ela é o símbolo maior porque também fala de alegria, fala de vitória e fala de vida. E, por isso é que ela está presente em toda a parte onde cristãos se reúnem.
Encontramos a cruz no alto da torre de nossas igrejas, porque ali se reúnem pessoas para celebrar a vitória da alegria sobre o sofrimento. Encontramos a cruz na capa de livros que contam e cantam a mensagem da exaltação ao invés da humilhação. Encontramos a cruz em nossos cemitérios, para anunciar a vitória da vida sobre a morte.
Efetivamente a cruz é o símbolo maior da cristandade.
A cruz lembra dor, mas ela anuncia alegria. A cruz lembra engano, mas anuncia a verdade. A cruz lembra morte, mas anuncia a vida! (Devocionário Sol Nascente)

 "A CRUZ DO CALVÁRIO MOSTRA COMO OS HOMENS PODEM IR LONGE NO PECADO, E COMO DEUS PODE IR LONGE PARA SALVÁ-LOS". (Trumbull)

 Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quinta-feira, 21 de março de 2019

O QUE TENS NAS MÃOS

- Que tens na tua mão, Moisés?
- Apenas um bordão, Senhor. Com ele guardo o meu rebanho.
- Toma-o e usa-o no meu serviço!
O homem de Deus fez conforme o Senhor lhe pediu. E aconteceram maravilhas tais que os egípcios e o seu faraó jamais tinham visto.
- Que tens na tua mão, viúva pobre?
- Apenas uma moeda, Senhor. É tão pouco, mas o que tenho é para ofertar em favor do serviço no templo.
E ela o deu ao Senhor, e o seu sacrifício tem servido de inspiração durante os séculos para cristãos de todo o mundo.
- Que tens na tua mão, Tabita?
- Somente uma pequena agulha, Senhor!
E os pobres de Jope foram agasalhados com as roupas que ela fez. E, passados tantos anos, Tabita continua sendo o grande exemplo para muitas mulheres cristãs.
Agora, fica a pergunta: - E tu, o que tens na tua mão?
(Do Devocionário Sol Nascente)
Independentemente se temos apenas uma vara, uma moeda, ou até uma simples agulha, é nosso dever como cristãos colocar tudo o que temos a serviço do Senhor. Portanto, tudo o que possuímos: dons, forças, disposição, posses, e também, o nosso tempo! Estes, devem estar à disposição de Deus. Pois, ainda há muita coisa para se feita!
Diante de nossos olhos, muitas injustiças são praticadas. A toda hora constatamos a falta de amor no mundo. Tão poucos sentiram até hoje o conforto da palavra do Senhor, de forma a entender a sua vontade. Menos ainda são os que conseguem pôr em prática a proposta de vida do evangelho. Usa, pois, os teus recursos, ou seja, o teu vigor, a tua disposição, a teu amor, aplicando tudo para viver uma vida consagrada a serviço ao Senhor.
Vamos ler 1 Pedro 4.7-11
”Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações. Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados. Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração. Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!”
E você, o que tens nas tuas mãos?
Eu creio que o principal você ainda tem, ou seja, o TEMPO!!!
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

segunda-feira, 4 de março de 2019

VC ESTÁ SENDO OBSERVADO!


       O pastor de uma igreja decidiu observar as pessoas que entravam na igreja. A porta se abriu e um homem de camisa esfarrapada adentrou pelo corredor central. O homem se ajoelhou, inclinou a cabeça, levantou-se e foi embora.
Nos dias seguintes, sempre ao meio-dia, a mesma cena se repetia. Cada vez que se ajoelhava por alguns instantes, deixava de lado uma marmita.
A curiosidade do pastor crescia e também, o receio de que fosse um assaltante, então decidiu aproximar-se e perguntar o que ele fazia ali.
O velho homem disse que trabalhava numa fábrica, num outro bairro da cidade e que se chamava Jim. Disse que o almoço havia sido há meia hora e que reservava o tempo restante para orar, e que ficava apenas alguns momentos  porque a fábrica era longe dali. E ainda contou para o pastor a oração que fazia: “Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar, mas eu penso em você todos os dias. Assim Jesus, hoje estou aqui, só observando."
O pastor, um tanto impressionado, disse que ele seria sempre bem-vindo e que viesse à igreja sempre que desejasse. “É hora de ir” - disse Jim sorrindo. Agradeceu e dirigiu-se apressadamente para a porta.
O pastor ajoelhou-se diante do altar, de um modo como nunca havia feito antes. Teve então, um lindo encontro com Jesus. Enquanto lágrimas escorriam por seu rosto, ele repetiu a oração do velho homem... “Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não  sei bem como devo orar mas penso em você todos os dias.
Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando".
Certo dia, o pastor notou que Jim não havia aparecido. Percebendo que sua ausência se estendeu pelos dias seguintes, começou a ficar preocupado. Foi à fábrica perguntar por ele e descobriu que estava enfermo, e num hospital.
Durante a semana em que Jim esteve no hospital, à rotina da enfermaria mudou. Sua alegria era contagiante. A chefe das enfermeiras, contudo, não pôde entender porque um homem tão simpático como Jim não recebia telefonemas, visitas, cartões de amigos, ... Nada!
Ao encontrá-lo, o pastor colocou-se ao lado de sua cama. Foi quando Jim ouviu o comentário da enfermeira: - Nenhum amigo veio pra mostrar que se importa com ele. Ele não deve ter ninguém com quem contar!!
Parecendo surpreso, o velho Jim virou-se para o pastor e disse com um largo sorriso: A enfermeira está enganada, ela não sabe, mas desde que estou aqui, sempre ao meio-dia ELE VEM! Um querido amigo meu, que se senta bem junto a mim, Ele segura minha mão, inclina-se em minha direção e diz: "Eu vim só pra lhe dizer quão feliz eu sou desde que nos tornamos amigos. Gosto de ouvir sua oração e penso em você todos os dias. Agora sou eu quem o está observando... e cuidando".
                                                     (autor desconhecido) 

Jesus disse: "lembrem-se: Eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” Mt 28.20 

Portanto, Jesus é sempre o nosso melhor amigo. Você crê nisto? Então SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO OBSERVADO!
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

A IMPORTÂNCIA DO TESTEMUNHO


      Você já imaginou uma criança que depois de um, dois, três ou quatro anos, não tenha pronunciado nenhuma palavra ainda? Este fato certamente deixaria os pais tremendamente preocupados. Afinal, se não falou até os três, quatro anos, dificilmente chegará a falar um dia. Todos sabem que o normal é que a criança aprenda a falar depois de um ano, e que desenvolva isso cada vez mais, à medida que cresce e se desenvolve.
      Vamos tentar construir agora uma ponte para a vida de fé.
      Você já imaginou um cristão, depois de um, dois, três, ou mesmo quatro anos de vida de fé, que ainda não tenha dado a nenhuma pessoa um testemunho a respeito? É de se perguntar: O que está havendo de errado? Na Bíblia encontramos as seguintes palavras: "Porque com o coração se crê para a justiça, e com a boca se confessa para a salvação". (Romanos 10.10)
      Embora não seja uma lei, poderíamos dizer o seguinte: A pessoa confessa, com palavras e ações, tanto quanto crê com o coração. Se o testemunho público não tem vida, é de se perguntar também se a fé que a pessoa diz carregar não é uma fé morta. Quanto a isso, no entanto, não nos cabe fazer nenhum julgamento,. O que se torna importante é incentivar as pessoas para que abracem a fé cristã como um discipulado, onde se ouve, vê, medita, pratica e fala, em coerência com a vontade de Deus.
      Em Mateus 10.32, Jesus diz: "Todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai que está nos céus."
      Se por nossa boca o nome de Jesus chegar ao ouvido de outra pessoa, simultaneamente o nosso nome, pela boca de Jesus, chegará aos ouvidos do Pai. Trata-se de uma maravilhosa promessa. Por outro lado, ele nos adverte: "Mas aquele que me negar diante dos homens, eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus." (Mateus 10.33)
      É nossa esperança que os jovens cristãos tenham, desde o início, a ousadia de testemunharem aquele ao qual servem e pertencem. Que Deus nos capacite e disponha para tal! (Devocionário Sol Nascente - Editora Sinodal)
Com carinho, Leandro Eicholz

sábado, 5 de janeiro de 2019

O GRÃO DE TRIGO


Era uma vez um grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo, porém muito orgulhoso. Julgava-se tão importante que só pensava em si mesmo. Sempre dava um jeito de ser o centro das atenções.
Pensava: "Eu não quero ser deitado na terra. Sou bonito, liso e perfeito demais para morrer na terra. Quero conservar a minha vida." Ele pediu para ser guardado num saquinho de plástico, bem guardadinho, para conservar intacta a sua vida.
Havia também um outro grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo, mas muito humilde. Pouco pensava em si mesmo. Ocupava-se mais em colocar a sua vida a serviço dos outros. Estava sempre disposto a entregar-se e doar-se em favor dos outros.
Nessa humildade, nem pensava em ser o dono de sua própria vida e, muito menos em conservar a sua vida pelas próprias forças."Concordo em ser deitado na terra", concluiu ele.
Passado algum tempo, aquele grãozinho orgulhoso, guardado no saquinho de plástico, virou pó. Enganou-se e não conseguiu reunir forças para preservar a sua vida.
Enquanto isso, o grãozinho humilde, deitado na terra, morreu. Mas, vejam só o que aconteceu: No lugar onde o grãozinho humilde morreu, surgiu uma nova planta. No início, muito pequenina, mas cresceu, deu flor e botou cacho, um cacho bonito, pesado, cheio de grãos de trigo.
Esse é realmente o grande segredo: se ficarmos girando em torno de nós mesmos, sempre pensando somente na nossa própria vida, então vamos ficar sós e a verdadeira vida não estará em nós. Se, no entanto, nos entregarmos, nos doarmos em favor dos outros, encontraremos a verdadeira nova vida.
Por isto, Jesus Cristo disse: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, ele fica só; mas se morrer, produz muito fruto". Jo 12.24            
          Que Deus os abençoe e um feliz 2019.
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

CHEGOU O NATAL


Mais uma vez chegou o Natal!
    Mas será que existem motivos para alegrar-se nesse Natal?
   Em Isaías 61.10 lemos: Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez. Ele nos vestiu com a roupa da salvação e com a capa da vitória. Somos como um noivo que põe um turbante de festa na cabeça, como uma noiva enfeitada com joias".
    Talvez para muitos o Natal não seja somente de alegria. Numa sociedade consumista parece que sempre falta um presente, uma joia, um brinquedo, um chocolate, etc... Também sabemos que para muitas pessoas é difícil falar de alegria, pois se encontram tristes nessa época do ano. E ainda existem muitos que não conseguiram compreender o verdadeiro sentido do Natal.
    O verdadeiro motivo para se alegrar é a "roupa da salvação que Deus nos envolve". Essa “roupa” é o menino Jesus, que nos leva de volta ao Pai. A alegria do Natal é o nascimento do menino Jesus, o filho de Deus que nasceu humilde em Belém. Graças a Ele, fomos revestidos, nos tornamos também filhos de Deus e herdeiros da salvação.
    Graças a Jesus, fomos libertos da condenação eterna e nos foi dado o céu. Como diz Paulo em Rm 8.17: "Nós somos seus filhos, e por isso receberemos as bênçãos que ele guarda para o seu povo, e também receberemos como Cristo aquilo que Deus tem guardado para ele. Porque, se tomamos parte nos sofrimentos de Cristo, também tomaremos parte na sua glória".
    Portanto, será que existem motivos para nos alegrar neste Natal? Com certeza, SIM! E, essa alegria é eterna. Essa alegria está em Jesus, este que nos cobriu com a roupa da salvação, com a capa da vitória, perdoando os nossos pecados.
    Que nesse Natal possamos reconhecer a verdadeira alegria e que possamos compartilhá-la com todos. Amém!
 - Um feliz e abençoado Natal a todos!!
                                                                                 Com Carinho, Leandro Eicholz