terça-feira, 15 de janeiro de 2019

A IMPORTÂNCIA DO TESTEMUNHO


      Você já imaginou uma criança que depois de um, dois, três ou quatro anos, não tenha pronunciado nenhuma palavra ainda? Este fato certamente deixaria os pais tremendamente preocupados. Afinal, se não falou até os três, quatro anos, dificilmente chegará a falar um dia. Todos sabem que o normal é que a criança aprenda a falar depois de um ano, e que desenvolva isso cada vez mais, à medida que cresce e se desenvolve.
      Vamos tentar construir agora uma ponte para a vida de fé.
      Você já imaginou um cristão, depois de um, dois, três, ou mesmo quatro anos de vida de fé, que ainda não tenha dado a nenhuma pessoa um testemunho a respeito? É de se perguntar: O que está havendo de errado? Na Bíblia encontramos as seguintes palavras: "Porque com o coração se crê para a justiça, e com a boca se confessa para a salvação". (Romanos 10.10)
      Embora não seja uma lei, poderíamos dizer o seguinte: A pessoa confessa, com palavras e ações, tanto quanto crê com o coração. Se o testemunho público não tem vida, é de se perguntar também se a fé que a pessoa diz carregar não é uma fé morta. Quanto a isso, no entanto, não nos cabe fazer nenhum julgamento,. O que se torna importante é incentivar as pessoas para que abracem a fé cristã como um discipulado, onde se ouve, vê, medita, pratica e fala, em coerência com a vontade de Deus.
      Em Mateus 10.32, Jesus diz: "Todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai que está nos céus."
      Se por nossa boca o nome de Jesus chegar ao ouvido de outra pessoa, simultaneamente o nosso nome, pela boca de Jesus, chegará aos ouvidos do Pai. Trata-se de uma maravilhosa promessa. Por outro lado, ele nos adverte: "Mas aquele que me negar diante dos homens, eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus." (Mateus 10.33)
      É nossa esperança que os jovens cristãos tenham, desde o início, a ousadia de testemunharem aquele ao qual servem e pertencem. Que Deus nos capacite e disponha para tal! (Devocionário Sol Nascente - Editora Sinodal)
Com carinho, Leandro Eicholz

sábado, 5 de janeiro de 2019

O GRÃO DE TRIGO


Era uma vez um grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo, porém muito orgulhoso. Julgava-se tão importante que só pensava em si mesmo. Sempre dava um jeito de ser o centro das atenções.
Pensava: "Eu não quero ser deitado na terra. Sou bonito, liso e perfeito demais para morrer na terra. Quero conservar a minha vida." Ele pediu para ser guardado num saquinho de plástico, bem guardadinho, para conservar intacta a sua vida.
Havia também um outro grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo, mas muito humilde. Pouco pensava em si mesmo. Ocupava-se mais em colocar a sua vida a serviço dos outros. Estava sempre disposto a entregar-se e doar-se em favor dos outros.
Nessa humildade, nem pensava em ser o dono de sua própria vida e, muito menos em conservar a sua vida pelas próprias forças."Concordo em ser deitado na terra", concluiu ele.
Passado algum tempo, aquele grãozinho orgulhoso, guardado no saquinho de plástico, virou pó. Enganou-se e não conseguiu reunir forças para preservar a sua vida.
Enquanto isso, o grãozinho humilde, deitado na terra, morreu. Mas, vejam só o que aconteceu: No lugar onde o grãozinho humilde morreu, surgiu uma nova planta. No início, muito pequenina, mas cresceu, deu flor e botou cacho, um cacho bonito, pesado, cheio de grãos de trigo.
Esse é realmente o grande segredo: se ficarmos girando em torno de nós mesmos, sempre pensando somente na nossa própria vida, então vamos ficar sós e a verdadeira vida não estará em nós. Se, no entanto, nos entregarmos, nos doarmos em favor dos outros, encontraremos a verdadeira nova vida.
Por isto, Jesus Cristo disse: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, ele fica só; mas se morrer, produz muito fruto". Jo 12.24            
          Que Deus os abençoe e um feliz 2019.
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

CHEGOU O NATAL


Mais uma vez chegou o Natal!
    Mas será que existem motivos para alegrar-se nesse Natal?
   Em Isaías 61.10 lemos: Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez. Ele nos vestiu com a roupa da salvação e com a capa da vitória. Somos como um noivo que põe um turbante de festa na cabeça, como uma noiva enfeitada com joias".
    Talvez para muitos o Natal não seja somente de alegria. Numa sociedade consumista parece que sempre falta um presente, uma joia, um brinquedo, um chocolate, etc... Também sabemos que para muitas pessoas é difícil falar de alegria, pois se encontram tristes nessa época do ano. E ainda existem muitos que não conseguiram compreender o verdadeiro sentido do Natal.
    O verdadeiro motivo para se alegrar é a "roupa da salvação que Deus nos envolve". Essa “roupa” é o menino Jesus, que nos leva de volta ao Pai. A alegria do Natal é o nascimento do menino Jesus, o filho de Deus que nasceu humilde em Belém. Graças a Ele, fomos revestidos, nos tornamos também filhos de Deus e herdeiros da salvação.
    Graças a Jesus, fomos libertos da condenação eterna e nos foi dado o céu. Como diz Paulo em Rm 8.17: "Nós somos seus filhos, e por isso receberemos as bênçãos que ele guarda para o seu povo, e também receberemos como Cristo aquilo que Deus tem guardado para ele. Porque, se tomamos parte nos sofrimentos de Cristo, também tomaremos parte na sua glória".
    Portanto, será que existem motivos para nos alegrar neste Natal? Com certeza, SIM! E, essa alegria é eterna. Essa alegria está em Jesus, este que nos cobriu com a roupa da salvação, com a capa da vitória, perdoando os nossos pecados.
    Que nesse Natal possamos reconhecer a verdadeira alegria e que possamos compartilhá-la com todos. Amém!
 - Um feliz e abençoado Natal a todos!!
                                                                                 Com Carinho, Leandro Eicholz

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

O NÁUFRAGO


Após um naufrágio, o único sobrevivente agradeceu a Deus por estar vivo e ter conseguido agarrar-se à parte dos destroços para poder ficar boiando. Este único sobrevivente foi parar em uma pequena ilha desabitada e fora de qualquer rota de navegação. Ele agradeceu novamente.
Com muita dificuldade e restos dos destroços ele conseguiu montar um pequeno abrigo, onde ele podia se proteger do sol, da chuva e também dos animais selvagens. E, como sempre, agradeceu.
Nos dias seguintes, a cada alimento que conseguia caçar ou colher, ele agradecia.
No entanto, um dia, quando voltava da busca por alimentos, ele encontrou o seu abrigo em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça. Terrivelmente desesperado, ele se revoltou e gritava chorando:
- O pior aconteceu! Perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?
Ele chorou tanto que adormeceu. Estava profundamente cansado.
No dia seguinte bem cedo, foi despertado pelo som de um navio que se aproximava.
- Viemos resgatá-lo, disseram.
- Como souberam que eu estava aqui? Perguntou o náufrago.
- Nós vimos o seu sinal de fumaça!             (adaptado - autor desconhecido)
No livro do Profeta Isaías 55.8 lemos: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor”. Devemos sempre perseverar na nossa fé. Deus nunca nos abandona. Portanto, não esqueçamos nunca de agradecer!
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

domingo, 15 de julho de 2018

A BÍBLIA ESTA CHEIA DE ERROS


A Bíblia está CHEIA de erros
- o primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de Deus;
- o segundo erro aconteceu quando seu esposo fez o mesmo.
 Erros e mais erros ainda estão sendo cometidos porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de Deus.
 A Bíblia está CHEIA de contradições
 - Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
 - Ela contradiz a lascívia (luxúria) e a desobediência;
 Ela contradiz o seu pecado e o meu. Ela nos faz pensar!
A Bíblia está CHEIA de falhas
- porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes;
- assim foi com a falha de Adão; com a falha de Caim; e a de Moisés; bem como a de muitos outros que também falharam.
Mas Ela é também o relato do amor infalível de Deus. Pois, Deus não falha!
Deus NÃO ESCREVEU a Bíblia
- para pessoas que querem jogar com as palavras;
- para aqueles que gostam de examinar o que é bom, mas sem fazê-lo;
- para o homem que não acredita porque não quer.
Mas Deus os ama mesmo assim!
O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia
Pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através da história;
- por grande ignorância à sua verdadeira mensagem e conteúdo;
- por intransigente apatia em recusar e considerar suas declarações;
Por convicção de que este Livro está certo e de que os homens estão errados.
Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que:
 - os ensinamentos Bíblicos são passados e irracionais, sendo princípios arcaicos e sem propósito;
- a Bíblia está cheia de discrepâncias e afirmações inaceitáveis;
A Bíblia é somente mais um LIVRO RELIGIOSO.
- para milhares que NÃO se arriscam em serem honestos consigo mesmos e com Deus;
- para aqueles que têm medo de aceitar o desafio do próprio Deus a um autoexame honesto;
- para aqueles que não querem examiná-la a fundo porque Ela diz verdadeiramente como os homens são.
Pergunto:
E você, consegue ENTENDER e CONFIAR no que a Bíblia diz?
- Se a resposta for NÃO. Então está na hora de considerar as evidências e encarar face a face o AUTOR – DEUS.
(Tradução de texto escrito por Winkie Pratney)
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Cada um é tentado pelo seu próprio desejo


Em Tiago 1.14 nós lemos: “Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido”.
Conta-se que certa vez um homem, no meio de sua correria diária acabou esquecendo um pote de mel destampado na área de sua casa.
E, na manha seguinte, ao abrir a porta, este homem deparou-se com uma cena um tanto desagradável: centenas de insetos, entre moscas e abelhas haviam sido atraídos pelo cheiro saboroso do mel.
Mas o que chamou a atenção daquele homem é que os insetos estavam pagando a sua tentação com a própria vida. Os insetos ao encostar-se ao pote de mel acabavam grudados uns nos outros e assim, afofavam-se no próprio objeto de desejo, ou seja, no mel.
O homem ao observar a cena viu que outros insetos mesmo assim, continuavam vindo, parecia que não estavam preocupados com o seu destino. Mesmo vendo muitos outros insetos já mortos dentro do vidro, eles vinham voando, pousavam na boca do vidro e entravam no pote de mel.
E, não demorava muito para os seus pés também estarem grudados no mel, e assim morrerem junto com os demais insetos. E a cena foi se repetindo varias vezes, um a um dos insetos pagou o seu desejo com a própria vida.     (Autor desconhecido)
“Cada um porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido”.
Refletindo sobre o texto Bíblico o ser humano também pode ser comparado a um destes insetos.
Muitas vezes através de uma curiosidade ou de uma diversão, ou até através de uma conversa surge o mau desejo. E, o passo do desejo até a ação é pequeno. Quando menos se percebe o ser humano é arrastado pelo pecado e assim, aprisionado por ele.
Por mais inocentes que muitas vezes pareçam às tentações, elas atraem o ser humano assim como o mel atrai os insetos. E, muitas pessoas infelizmente não percebem isto, e acabam rendendo-se aos desejos destruindo assim, o corpo e a alma.
Portanto, vamos prestar atenção nos potes que são colocados a nossa volta, muitas vezes eles parecem doces, saborosos, mas é preciso se perguntar: qual é o preço que teremos que pagar por este desejo?
Tiago diz que somos tentados pelo nosso próprio mau desejo e, que por este desejo seremos arrastados e seduzidos. É por isto que Jesus nos exortou a orar e vigiar, pois assim, ele transformará os nossos desejos.
E, assim oramos: Senhor Jesus, abre os nossos olhos para que vejamos as armadilhas que são colocadas a nossa frente. Ensina-nos a viver na Tua presença e transforma os nossos mau desejos através da Tua Palavra. Amém.
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz