sábado, 19 de março de 2016

HOUVE AQUELA PRIMEIRA CRUZ


Houve aquela primeira cruz, a cruz do Gólgota.
Que grande engano: Crucificaram o Filho de Deus!
A partir daquele acontecimento, a cruz se tornou o símbolo maior da cristandade. Onde cristãos se reúnem, ali ela está presente.
A cruz fala de sofrimento, pois chicotearam Jesus, colocaram-lhe uma coroa de espinhos e furaram suas mãos com pregos. A cruz fala de humilhação, pois zombaram de Jesus, leiloaram suas vestes e cuspiram no seu rosto. A cruz fala de morte, pois Jesus morreu na cruz.
Fosse só isso: sofrimento, humilhação e morte, a cruz não seria o símbolo maior da cristandade. Ela é o símbolo maior porque também fala de alegria, fala de vitória e fala de vida. E, por isso é que ela está presente em toda a parte onde cristãos se reúnem.
Encontramos a cruz no alto da torre de nossas igrejas, porque ali se reúnem pessoas para celebrar a vitória da alegria sobre o sofrimento. Encontramos a cruz na capa de livros que contam e cantam a mensagem da exaltação ao invés da humilhação. Encontramos a cruz em nossos cemitérios, para anunciar a vitória da vida sobre a morte.
Efetivamente a cruz é o símbolo maior da cristandade.
A cruz lembra dor, mas ela anuncia alegria. A cruz lembra engano, mas anuncia a verdade. A cruz lembra morte, mas anuncia a vida! (Devocionário Sol Nascente)

 "A CRUZ DO CALVÁRIO MOSTRA COMO OS HOMENS PODEM IR LONGE NO PECADO, E COMO DEUS PODE IR LONGE PARA SALVÁ-LOS". (Trumbull)

 Com carinho, Pastor Leandro Eicholz