sexta-feira, 19 de abril de 2013

O GRÃO DE TRIGO


Era uma vez um grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo, porém, muito orgulhoso. Julgava-se tão importante que só pensava em si mesmo. Sempre dava um jeito de ser o centro das atenções de todos.
Pensava: "Eu não quero ser deitado na terra. Sou bonito, liso e perfeito demais para morrer na terra. Quero conservar a minha vida." Ele pediu para ser guardado num saquinho de plástico, bem guardadinho, para conservar intacta, a sua vida.
Havia também outro grão de trigo. Pequeno como todos os grãos de trigo e muito humilde. Pouco pensava em si mesmo. Ocupava-se mais em colocar a sua vida a serviço dos outros. Estava sempre disposto a entregar-se e doar-se em favor dos outros.
Nessa humildade, nem pensava em ser o dono de sua própria vida, e muito menos pensava em conservar a sua vida pelas próprias forças.
"Concordo em ser deitado na terra", concluiu ele.
Passado algum tempo, aquele grãozinho orgulhoso, guardado no saquinho de plástico, virou pó. Enganou-se e não consegui reunir forças para preservar a sua vida.
Enquanto isso o grãozinho humilde, deitado na terra, morreu. Mas, vejam só o que aconteceu: No lugar onde o grãozinho humilde morreu, surgiu uma nova planta. No início, muito pequenina, mas cresceu, deu flor e botou cacho, um cacho bonito, pesado, cheio de grãos de trigo.
Esse, é realmente o grande segredo: se ficarmos girando em torno de nós mesmos, sempre pensando somente na nossa própria vida, então vamos ficar sós e a verdadeira vida não estará em nós. Se, no entanto, nos entregarmos, nos doarmos em favor dos outros, encontraremos a verdadeira nova vida.
Por isto, Jesus Cristo disse: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, ele fica só; mas se morrer, produz muito fruto". Jo 12.24            
          Que Deus os abençoe.
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz