terça-feira, 18 de outubro de 2016

O VALOR DA NOSSA VIDA

  João era o nome do empregado de certo fazendeiro que resolveu vender suas terras. João era pobre; seu trabalho era penoso, mas era muito honesto. Após alguns anos de trabalho, consegui guardar um bom dinheiro e comprou um pequeno pedaço de terra do seu patrão. Foi uma boa aquisição.
   Mais tarde ouviu falar de uma outra propriedade, não muito mais cara, um pouco para o oeste. Vendeu seus bens e instalou-se nela. Da mesma forma foi uma boa aquisição e a sua vida melhorou.
   Um certo viajante comunicou-lhe então, que mais longe, mais para o norte, podiam-se adquirir terras muito mais extensas e férteis, por um preço bem menor. E João deslocou-se para lá, acompanhado por um empregado seu. Quando ali chegou, lhe foi oferecido por uma bagatela, tanto terreno quanto ele conseguisse medir, desde o nascer até o pôr do sol.
   João delimitou tudo quanto pode e colocou marcos para assinar o que fora medido. Esgotou suas forças naquele dia. Havia parado somente para uma breve refeição. Formaram-se bolhas nos seus pés.
   O sol estava quase desaparecendo no horizonte. À custa de um último esforço, João consegui atingir a colina onde o vendedor de terras o aguardava. Sentia-se exausto. Suas pernas amoleceram, seus olhos escureceram, e ele caiu por terra. Estava morto! Ainda sob o impacto daquela morte repentina, o seu criado lhe cavou a sepultura, uma sepultura do se tamanho e não mais...                  (Devocionário S. Nascente)


   Para muitos esta história exemplifica muito bem o valor da vida humana. Porém, nossa vida não consiste em possuir muito, mas sim, em SER ALGO.
   Jesus diz que devemos em primeiro lugar buscar o seu reino e a sua justiça e, todas as outras coisas, serão acrescentadas. Quem não se lembra da parábola que Jesus contou a respeito do homem rico, que produziu com abundância, que iria construir novos celeiros para guardar tudo e, depois gozar a vida? "Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a alma; e o que tens preparado, para quem será?"(Lucas 12.16-21)
   Pensemos sobre isso!
Com carinho, Pastor Leandro Eicholz